por eng spa
Agendar consulta técnica
19/08/2020

Impactos que a qualidade da água de bebida gera no desempenho animal

Impactos que a qualidade da água de bebida gera no desempenho animal

A água tem uma importância vital para o desenvolvimento dos seres vivos. Ela é considerada um nutriente essencial – como abordado aqui em nosso último blog – para ter um elevado desempenho zootécnico e econômico para produção de aves e suínos.
Estudiosos como THULIN E BRUMM (1991) chamaram a água de nutriente esquecido, demonstrando claramente a desatenção de todos para a sua importância. A falta ou as alterações na composição do líquido apresentam impactos altamente significativos para o desempenho animal.
Na avicultura e na suinocultura, dentre as várias funções que a água executa no organismo, duas delas se destacam na nutrição e na fisiologia:
 

  • Digestão e absorção dos nutrientes no trato digestório
  • Termorregulação corporal- equilíbrio térmico
Afinal, esses animais bebem em torno de 2,5 a 3 vezes o consumo de ração. Sendo assim, será que damos a devida importância para a qualidade deste ingrediente? Neste contexto podemos considerar a importância das ações em relação à busca por uma água de qualidade.
Além disso, agentes podem ser veiculados pela água, como vírus, bactérias, fungos e algas. Independente da fonte, a água para aves e suínos deve ser tratada para prevenir ou evitar a disseminação de agentes infecciosos.
Necessitamos clorar toda água de consumo animal por regulamentação da MAPA/ANVISA. A eficiência da cloração nos casos de pH alcalino, é inversamente proporcional ao aumento do pH.
É comum encontrarmos água de consumo animal com pH superior a oito, a eficiência da cloração nesses casos é de 20%, o que não nos proporciona os efeitos de sanitização de água necessários para oferecer aos animais. Isso ocorre pois a liberação de ácido hipocloroso-HOCL se dá em pH mais ácido, e o íon hipoclorito-CIO-­ é liberado em pH mais alcalino e este não possui eficiência de sanitização como o ácido hipocloroso.
            A ação conjunta da diminuição do pH e da cloração efetiva são ferramentas importantíssimas para a diminuição da proliferação de entero bactérias tais como E. coli, Salmonelas e Clostridium.
No caso dessas entero bactérias gerarem desequilíbrio da flora gastrointestinal trazem como consequência maior motilidade intestinal com diminuição do tempo de passagem da ração e aumento da C.A. devido à perda de ração nas fezes e lesões nas mucosas. Acompanhado de diminuição de ganho de peso, aumento de idade de abate a elevação dos custos de produção.
Essas consequências geram grande impacto no custo de produção, considerando que a nutrição representa grande parte dos investimentos na produção animal. Outro fator importante de avaliação da qualidade de água é através de análise físico-química, onde podemos verificar os minerais presentes na água.
Os compostos minerais como carbonato de cálcio, magnésio e óxido de ferro se aderem às paredes da tubulação e geram Biofilme, criando condições para que as bactérias se depositem nas tubulações e se desprendam das mesmas e acabam sendo consumidas pelos animais, gerando quadros entéricos, além de precipitarem alguns medicamentos e impedindo que os mesmos produzam a melhora efetiva dos quadros de doenças.
Para minimizar esses quadros, podemos fazer uso do Acikobra® um composto de ácidos orgânicos que de forma contínua consegue manter o pH ideal e o uso do Fosfatizante Antigota® na água de bebida, permitindo que ocorra a “inativação química” desses minerais e que melhore o efeito dos antibióticos e desinfetantes. Além disso, o fosfatizante evita que esses minerais se depositem nos bebedouros (nipple ou chupeta) prevenindo o “gotejamento” desses bebedouros.

Esse produtos são utilizados no Quarteto® Kobra que em sinergia permite um tratamento de água completo.